Aprenda a diferenciar a Dor de Esforço e a Dor de Lesão

Share:
Fala, meu craque.

Sim, a grosso modo mesmo. Vamos falar da dor muscular, que, segundo o filósofo e volante Maicon, "jogador não joga sem dor". Volta e meia, tá o atleta reclamando de alguma dor. Seja ela uma pancada, uma lesão, torção, ou aquele velho migué mesmo, não tem jeito.

Aqui e agora, vamos diferenciar essas dores, pra você não ficar com aquele velho dilema na sua mente: "Será que eu tô com uma lesão muscular?".


Primeiro, vamos entender o que causa a dor muscular: A inflamação.

Basicamente, quando você tá metendo força num determinado grupo muscular, você sente ele dar uma leve 'queimada'. Nesse momento, o músculo tá gerando lesões bem pequenininhas por dentro. Calma, você não vai perder a perna por isso. Essas lesões são, justamente, o que faz a musculatura ficar mais forte, potente, resistente, já que essas microlesões tendem a se recuperar, assim como uma lesão grave, porém em questão de horas. Por isso é tão importante o tal REPOUSO após um treino, justamente pra essas microlesões se recuperarem, gerando uma musculatura mais forte e resistente para a próxima carga.

Só que, as vezes, essa carga pode ser grande demais, e a lesão ser um pouco maior. Aí, já sabe. Horas viram dias, até meses.

Mas tá, e pra diferenciar essa dor?

DOR DE ESFORÇO

É aquela dorzinha chata que fica te incomodando quando você vai fazer algum movimento que utilize o grupo muscular afetado pela carga imposta por você. Ela aparece na movimentação, mas geralmente some/fica mais fraca quando você tá em repouso. Não há vermelhidão, mas às vezes rola um pequeno inchaço no local. Nada que um gelinho não resolva.

DOR DE LESÃO

Dor considerada idiota demais pra ser ignorada. A área da lesão geralmente fica avermelhada/roxa, e ela permanece independente da sua movimentação. Em casos mais graves, aparece uma leve depressão na pele, que ocupa o espaço onde o músculo se abriu. Aí meu amigo, é DM na certa. Interromper as atividades NA HORA é imprescindível para o não agravamento da lesão e preservação das fibras restantes.

Viu? É moleza, não tem muito mistério não.

Nenhum comentário